Este espaço se propõe a reunir material sobre loucura e todo o aparato que a envolve. Espaço para memória, videos, leituras, noticias e tudo o mais que nos cair em mãos em nossa tarefa diária de pensar sobre o tema.Também postaremos materiais que, ainda que não se relacionem diretamente com o tema, esclarecem o pensamento de autores importantes para se chegar lá. Doiduras, maluquices, vesânias de toda sorte serão bem vindas.

23 de fev de 2013

LIVRO: “Custódia e Tratamento Psiquiátrico no Brasil: Censo 2011”, de Debora Diniz


Estudo sistematiza, pela primeira vez, as informações psiquiátricas, jurídicas e sociodemográficas de uma população invisível e vulnerável: "os loucos infratores". A pesquisa foi realizada pela Anis – Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero, presidida pela médica Cássia de Castro. A coordenadora geral da pesquisa foi a antropóloga Debora Diniz, professora da Universidade de Brasília e pesquisadora da Anis. A entidade co-executora foi a Universidade de Brasília. Outros centros e institutos de pesquisa atuaram como consultores e
especialistas em diferentes etapas da pesquisa, tais como: IPUB/UFRJ; IBCCRIM; Ministério Público Federal; UERJ; Fiocruz; MPDFT; Justiça Federal; e MPGO.

livro: “Custódia e Tratamento Psiquiátrico no Brasil: Censo 2011”, de Debora Diniz.
O livro, com tiragem de 3 mil exemplares, está sendo distribuído pelo Ministério da Justiça para bibliotecas, centros de pesquisa, órgãos e agências governamentais no campo da saúde mental e do sistema prisional, gestores, ministério público e demais instâncias jurídicas, além de OABs e Conselhos Federais ligados ao tema, entre outros. O livro também foi publicado em versão eletrônica. O e-book, com download e distribuição gratuita, pode ser encontrado aqui.

12 de fev de 2013

Rede Estadual de Saúde Mental e Economia Solidária


A Rede Estadual de Saúde Mental e Economia Solidária irá realizar sua primeira reunião do ano.
Dia: 21 de Fevereiro (quinta-feira)
Horário: 9h
Local: Auditório Aud. Rev. Wilson de Souza Lopes - Rua Piauí, 143 – 11º andar (Mackenzie – SP) – Travessa da R. da Consolação – Próximo ao Metrô República.

7 de fev de 2013

VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde

A Comissão de Ciências Sociais e Humanas da ABRASCO anuncia a realização do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, entre os dias 13 e 17 de novembro de 2013, no Rio de Janeiro, no Campus Maracanã da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Essa sexta edição tem como tema central "Circulação e Diálogo entre Saberes e Práticas no Campo da Saúde Coletiva", definido a partir das reflexões produzidas durante os cinco congressos anteriores e as participações das Ciências Sociais e Humanas no desenvolvimento da Saúde Coletiva brasileira. O Congresso pretende reunir pesquisadores, docentes, profissionais e estudantes de pós-graduação e graduação nas áreas de ciências humanas e sociais voltadas para a saúde. Pretende-se incentivar o debate, a reflexão e o enfrentamento dos desafios teóricos e práticos colocados para esta área no contexto contemporâneo. Serão muito bem vindos aqueles que querem pensar, debater, construir e refinar a nossa ampla participação no campo da saúde. Link:http://www.cienciassociaisesaude2013.com.br/

4 de fev de 2013

ESTAMIRA

Estamira e a Indústria da Morte

HISTÓRIA DA LOUCURA E DA PSIQUIATRIA

060. HISTÓRIA DA LOUCURA E DA PSIQUIATRIA

Coordenadores: ANA TERESA ACATAUASSÚ VENANCIO (Doutor(a) - Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz), YONISSA MARMITT WADI (Doutor(a) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE)

Resumo: Este simpósio pretende dar continuidade à troca intelectual já levada a efeito no XXVI Simpósio Nacional de História (São Paulo, 2011), no XV Encontro Regional de História (Rio de Janeiro, 2012) e no XIII Encontro Regional de História (Paraná, 2012). Mantemos como objetivo a reunião de especialistas em uma área em franco desenvolvimento e processo de consolidação na historiografia: a história da loucura e da psiquiatria. Compreende-se como “história da loucura e da psiquiatria” um conjunto de discussões e pesquisas desenvolvidas a partir do tema central da loucura, tratada em temporalidades e espacialidades diversas. Estas análises, realizadas a partir de diferentes perspectivas teóricas e metodológicas e mesmo em áreas de conhecimento diversas (como Ciências da Saúde e Ciências Humanas), tem se desdobrado em problemáticas tais como a própria constituição histórica dos conceitos (loucura / doença mental / saúde mental), suas relações com a configuração da ciência psiquiátrica, a constituição de instituições, aparatos e políticas de assistência, as experiências dos sujeitos com a doença e mesmo as concepções de humano que se produzem a partir do físico, do mental e do moral. Propõe-se assim, neste simpósio, reunir trabalhos nos seguintes eixos temáticos: a) Instituições psiquiátricas e contextos nacionais; b) Psiquiatria, criminologia e biodeterminismos; c) Psicopatologia, diagnóstico e classificação da diferença; d) Loucura e gênero; e) Narrativas da loucura; f) Fontes de pesquisa.
Justificativa: O campo da história da loucura e da psiquiatria no Brasil, assim como em outros países tem como um de seus marcos importantes os trabalhos desenvolvidos a partir da década de 1970, inspirados na literatura crítica contemporânea. Trata-se de textos marcados por uma revisão e ruptura em relação ao modo idealizado como esta história vinha sendo escrita pelos “pioneiros”, conformando-se um novo fazer historiográfico tanto do ponto de vista da filiação teórica – maciçamente inspirada em Michel Foucault – quanto do ponto de vista da eleição de novas fontes. A produção em torno da temática cresceu de modo expressivo, observando-se, nos últimos vinte anos, uma certa revisão dessa linha de pesquisa. São estudos que articularam a questão da temporalidade à dimensão da cultura na qual o mundo da ciência também está inserido, produzindo abordagens centradas na história cultural, na micro história e, em grande parte, no diálogo com a antropologia. É o intercâmbio entre essa produção intelectual que anima esta área temática, que pode ser visualizada por intermédio dos trabalhos desenvolvidos em programas de pós-graduação em história, antropologia, sociologia, psicologia e na própria medicina, das publicações em periódicos e das apresentações em congressos científicos, agregando um crescente e diversificado universo de pesquisas e pesquisadores interessados em compreender, discutir e comparar as formas como diferentes sociedades se defrontam, entendem e lidam com a problemática da loucura. Neste sentido, propõe-se neste simpósio discutir questões correlatas ao campo referido, através de eixos como: a) Instituições psiquiátricas e contextos nacionais: discussões sobre como, em diferentes períodos, instituições psiquiátricas estiveram articuladas à historia política de seus respectivos países, participando da construção de representações sociais, do desenvolvimento do Estado e das políticas públicas para a área da saúde e da saúde mental, bem como sobre a concorrência e conflitos entre a psiquiatria e outras práticas de cura; (b) Psiquiatria, criminologia e biodeterminismos: debates sobre o modo como saberes e práticas médico-psiquiátricos conviveram com teorias de cunho biológico – como a eugenia, a teoria lombrosiana, a frenologia – interagindo com diferentes campos de saberes – como a criminologia, o direito, a pediatria – e produzindo representações especificas sobre o estatuto do físico, do mental e do moral para o humano; (c) Psicopatologia, diagnóstico e classificação da diferença: discussão de pesquisas sobre diagnósticos psiquiátricos em voga em diferentes períodos históricos, abordando tanto aspectos de uma história conceitual quanto a relação dinâmica dos conceitos psiquiátricos com os contextos culturais, marcados por valores, representações e práticas relativas à loucura; (d) Loucura e gênero: debates sobre as correlações entre produção da doença mental – incluindo-se diagnósticos específicos – e o estatuto do gênero dos atores sociais, considerando as relações entre o estatuto de gênero de quem produz um certo discurso (como o discurso médico) e de quem é objeto deste, bem como as diferenças que esses discursos produziram no que se refere à loucura em homens e em mulheres; (e) Narrativas da loucura: discussões sobre as diferentes manifestações discursivas e expressões narrativas (literatura, cinema, escrituras ordinárias, falas, prontuários, expressões artísticas e simbólicas) de diferentes sujeitos (especialmente os considerados loucos) e suas representações do universo institucional, do saber, das vidas individuais, etc.; (f) Fontes de pesquisa: discussões sobre o uso de diferentes tipos de fontes, o acesso e preservação dos acervos documentais existentes, e suas possibilidades e limites para a pesquisa neste campo. Acreditamos, assim, que a realização do XXVII SNH será uma nova oportunidade para fomentarmos o interesse e reunirmos a produção resultante de pesquisas no campo referido, produzidas em diversas regiões brasileiras.
Bibliografia:
CARRARA, S. Crime e Loucura: o aparecimento do manicômio judiciário na passagem do século. Rio de Janeiro: Eduerj; Edusp, 1998.
CASTEL, R. A Ordem Psiquiátrica: a Idade de Ouro do Alienismo. Rio de Janeiro, Graal, 1978.
COSTA, J. F. História da psiquiatria no Brasil: um corte ideológico. Rio de Janeiro, Xenon, 1989.
CUNHA, M. C. P. O Espelho do Mundo: Juquery, a história de um asilo. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1986.
ENGEL, M. G. Os Delírios da Razão: médicos, loucos e hospícios (Rio de Janeiro, 1830-1930). Rio de Janeiro: Fiocruz, 2001.
FOUCAULT, M. História da loucura na idade clássica. São Paulo: Perspectiva, 1978.
GAUCHET, M. ; SWAIN, G. La pratique de l’esprit humain. L’institution asilaire e la révolution démocratique. Paris: Éditions Gallimard, 1980.
HUERTAS, R. Historia de la Psiquiatria, ¿Por qué?, ¿Para qué? Tradiciones Historiográficas y Nuevas Tendências. Frenia,, Madrid, v. I, n.1, p.9-36, 2001.
HUERTAS, R. História cultural de la psiquiatria. Madrid: Catarata, 2012.
MACHADO, R. A Danação da Norma. Medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro, Graal, 1978.
PORTER, R. História social da loucura. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1991.
SANTOS, N. M. W. Narrativas da loucura e histórias de sensibilidades. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2008.
VENANCIO, A. T. A.; CASSILIA, J. A. P. A doença mental como tema: uma análise dos estudos no Brasil. Espaço Plural (Unioeste) n. 22, p.24-34, 1. sem. 2010.
VENANCIO, A. T. A. Da colônia agrícola ao hospital-colônia: configurações para a assistência psiquiátrica no Brasil na primeira metade do século XX. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, v. 18, supl. 1, p. 35-52, 2011.
WADI, Y. M.; SANTOS, N. M. W. História e loucura: saberes, práticas e narrativas. Uberlândia: EDUFU, 2010.
WADI, Y. M. Entre muros: os loucos contam o hospício. Topoi, v.12, p.250-269, 2011.

LINK PARA INSCRIÇÕES:
http://www.snh2013.anpuh.org/simposio/view?ID_SIMPOSIO=1084