Este espaço se propõe a reunir material sobre loucura e todo o aparato que a envolve. Espaço para memória, videos, leituras, noticias e tudo o mais que nos cair em mãos em nossa tarefa diária de pensar sobre o tema.Também postaremos materiais que, ainda que não se relacionem diretamente com o tema, esclarecem o pensamento de autores importantes para se chegar lá. Doiduras, maluquices, vesânias de toda sorte serão bem vindas.

21 de jul de 2010

ARTE E LOUCURA

Nau dos loucos, de Hieronimus Bosch.
É citada por Michel Foucault em Historia da loucura na Idade Clássica.
O quadro mostra uma percepção da loucura a qual Foucault chama
 de experiência trágica, onde a loucura é apresentada como é 
representada como animalesca, como verdade, como força, como quimera, como verdade reveladora, para além do bem ou do mal...
Contrapondo esta experiência, há aconsciência crítica da loucura, que na Idade Clássica faz seu aparecimento principalmente pela via da literatura, apontando na loucura o erro, o vício, o falso da verdade, o negativo da razão. O confronto entre as duas experiências "anima tudo o que pôde ser sentido sobre a loucura e formulado a seu respeito no começo da Renascença." (FOUCAULT, Historia da loucura, 1978, p.28). Mas a consciência crítica impõe uma vitória decisiva sobre aexperiência trágica. O mundo moderno não se relaciona mais com a multiplicidade de sentidos, mas apenas com este onde a loucura foi confiscada pela razão. Entre loucura e razão não há mais o diálogo.


Nenhum comentário: