Este espaço se propõe a reunir material sobre loucura e todo o aparato que a envolve. Espaço para memória, videos, leituras, noticias e tudo o mais que nos cair em mãos em nossa tarefa diária de pensar sobre o tema.Também postaremos materiais que, ainda que não se relacionem diretamente com o tema, esclarecem o pensamento de autores importantes para se chegar lá. Doiduras, maluquices, vesânias de toda sorte serão bem vindas.

31 de jul de 2010

FILME

 A ilha do medo (Shutter Island)  
de Martin Scorsese ( EUA).

Adaptação do  romance escrito por Dennis Lehane cuja história, ambientada em 1954. Teddy (Leonardo Di Caprio), um oficial da polícia, e seu companheiro Chuck (Mark Ruffalo) são chamados para investigar um suposto desaparecimento de uma paciente do asilo para criminosos que fica localizado na tal Ilha para onde eles são levados. 
Pode-se fazer uma leitura do filme partindo de uma leitura psicopatológica do personagem central, mas penso que esta seria uma leitura raza. 
O que penso ser importante na análise do filme é o manicômio como lugar de onde nada  escapa. Do manicômio não há saida! 
Na fala da personagem Raquel Solano:" É isso que há de kafkaniano. Se as pessoas falam que você é louco, seus protestos em contrario confirmarão isso."
Também vale notar a relação que é estabelecida entre manicômio e o campo nazista - o romance é de 1954, fim da 2º grande guerra, e momento em que esta analogia é percebida.


Nenhum comentário: